Um minuto para Deus, um minuto para alguém

Publicado: 11/01/2009 por Newbie em Textos Conectados

(Versículo-chave: 1 João 5.16)

Na última sexta-feira (30.10) foi feito um momento de discussão em duplas ou em trios de forma que cada pessoa pôde conhecer melhor uma outra. E apenas uma. Para vocês, meus 12 amigos que estavam presentes, esse post. Para quem não estava presente, leia antes o próximo post.

Uma pessoa já foi escolhida. Você já sabe o nome dessa pessoa, a data de aniversário e outras características da pessoa. A questão agora é a oração. Se todos os dias você resolver orar um minuto por essa pessoa, somente sessenta segundos, você estará amando-a. Para orar, não adianta simplesmente falar “Deus, abençoe fulano, amém”. O que eu estou falando aqui é a questão de você preencher sessenta segundos com pedidos de oração e agradecimentos por essa pessoa. Para fazer isso você precisa conhecer melhor a pessoa, ligar pra ela, falar no msn, no Orkut, saber o que faz essa pessoa feliz, o que faz essa pessoa triste.

  • Se você for parar para pensar, por mais amigo que você seja da pessoa que foi proposta, você ainda não a conhece.

Por quê isso? A resposta é simples: Quando nos relacionamos, fazemos isso, em parte, por necessidade. E acabamos pensando só no que a outra pessoa pode nos oferecer, pode fazer por nós, pode contribuir para a nossa vida. Raramente nós pensamos no que podemos fazer para ajudar a outra pessoa. Raramente ou nunca, diga-se de passagem.

Então aí está o desafio. Pegue o seu relógio, marque um minuto e comece a oração. E não se espante se quando você abrir os olhos ainda não tenha chegado aos 30 segundos.

Israel.

Anúncios
comentários
  1. Bruna disse:

    Eu estou fazendo isso e estou me sentindo muito bem. Meu coração se alegra por estar fazendo isso por alguém, por agradecer, pedir e abençoar essa pessoa. Esse momento do conectados pra mim foi muito importante, pois você fala todas as sextas-feiras com várias pessoas e às vezes, nem a data do aniversário dela você sabe… Essa iniciativa com certeza trará bons frutos..pra mim já está sendo maravilhoso. =)

  2. Thiago disse:

    Li esse texto e achei a “cara” de alguns de vocês, foi dirigido pra estudantes universitários, mas é só mudar que o sentimento continua o mesmo.

    Grato, Thiago 😉

    O evangelho te atrapalha?

    Epaminonas Bonfim
    ABU Imperatriz (MA)
    Estudante de Ciências Contábeis da UFMA

    Tendo, pois, Maria chegado aonde Jesus estava, e vendo-o, lançou-se aos seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se. E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê. Jesus chorou. Disseram, pois, os judeus: Vede como o amava… E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. [João 11.32-36;43 ARA]

    O livro de João caracteriza-se principalmente pela observação do amor de Deus. São páginas carregadas de sentimentos de compaixão, misericórdia e amor. O trecho acima, em que Jesus sofre ao ver o sofrimento alheio deixa isso muito claro. Ele se importou com as pessoas. Não ficou indiferente. Jesus sofreu e agiu!

    E o que temos feito hoje?

    Dentro do campo missionário estudantil alguns cristãos, ao convidarem outros colegas também cristãos para evangelizar, têm ouvido muitas desculpas descumprindo em suas vidas o chamado da Grande Comissão – o ide de Jesus, o Messias.

    Assim as respostas são as mais variadas e criativas: não posso, estou com dor de cabeça, cheguei agorinha no campus, tenho que ir lanchar, não estou com ‘cabeça’ agora, tenho vergonha, etc. A campeã, a mais chata e revoltante é: estou estudando para concurso. Em algumas vezes esse cristão não estuda no tempo que deveria e toma o tempo que deveria dar a Deus!

    Ora, lembremos que para evangelizar não precisamos “fazer um culto” dentro do ambiente da escola ou campus, simplesmente pregar a Palavra de Deus. Existem”n” formas de levar o Evangelho às pessoas e, dizer “não posso” com “desculpas esfarrapadas” é o mesmo que afirmar que evangelização vai atrapalhar as atividades cotidianas. Isso reflete o nível de organização pessoal. Pois a primeira obrigação de um cristão é fazer a vontade de Deus e, isso inclui cabalmente o Kérigma (pregação, anúncio), a diaconia (serviço) e a martiria (testemunho). E todo crente tem o seu sacerdócio dado por Deus!

    Ou será que durante o tempo estudantil deve-se omitir a identidade cristã? Um cristão “esquivante” está na verdade desobedecendo a Deus!

    É necessário uma auto-avaliação: o que eu tenho feito pelo Reino de Deus? O que tenho em mãos a apresentar ao Senhor? Tenho evangelizado meus colegas de sala? E vizinhos?

    A vida do cristão que não evangeliza é uma farsa. “O cristão é como ele reage” (1).

    Se é displicente com o “ide” de Jesus mostra, na sua vida, a pouca importância que dá aos outros mandamentos de Deus. É omisso. A omissão é pecado e revela a (falta de) importância que damos ao chamado de Deus para as nossas vida.

    Então, evangelizar atrapalha? E a consciência cristã? As multidões estão com sede e podemos apresentá-las a água da vida – Jesus!

    Fernando Costa. Obreiro da ABUB na Região Norte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s